Artes e Ofícios
Atelier de corda seca sobre tijoleira

Fiel à sua vocação histórica de solidariedade para com os mais desfavorecidos, a Misericórdia de Óbidos, tem vindo a assumir-se como um agente activo na promoção de algumas acções propostas pelo “Mercado Social de Emprego”, e como parceiro estrutural das forças vivas da localidade e da região, traçando estratégias de desenvolvimento integrado, em que o factor humano adquire a total preponderância, com especial incidência no combate ao desemprego de longa duração, à aquisição do primeiro emprego e aos excluídos socialmente.

Tudo começou em 1998. A Santa Casa promoveu um curso de pintura em azulejo, tutelado pelo Centro de Emprego e Formação Profissional de Caldas da Rainha, no âmbito do programa “Escolas-Oficinas”, revitalizando alguma dinâmica na área de artes e ofícios tradicionais. Este curso visou proporcionar a aquisição das competências necessárias para o exercício da actividade de “pintura em azulejo”, e essencialmente, “a técnica de corda seca sobre tijoleira”, cuja a formação se desenvolveu ao longo de 12 meses. Esta contou com diversas parcerias locais, nomeadamente com o CENCAL (Centro de Formação Profissional para a Indústria Cerâmica), com o Instituto do Emprego e Formação Profissional, através do Centro de Emprego de Caldas da Rainha, com a Câmara Municipal de Óbidos, com a Associação de Defesa do Património do Concelho de Óbidos, etc.

A pintura de azulejo, na região, tem tido forte expressão desde há vários séculos, e numa altura em que estamos perante um mercado moderno, onde tudo tende a ser igual e mecanizado, a aposta no artesanato vem contrariar esta tendência pela forma “individual” que assume.

Como reflexão da avaliação do curso de formação na área de pintura em azulejo, a Santa Casa da Misericórdia e o programa “Descobrir Óbidos” (parceria cultural entre a Associação de Defesa do Património de Óbidos e a Câmara Municipal de Óbidos) apresentaram no dia 17 de Agosto de 1999, uma exposição venda, estando patentes alguns trabalhos dos dez formandos que participaram naquela acção.

Este programa, inovador no seio da entidade que a promove, procura fazer coincidir os interesses da Santa Casa, no desempenho das suas obras “de misericórdia”; do Centro de Emprego, no sentido da formação profissional; e dos interesses culturais de reabilitação de actividades tradicionais, como suporte ao desenvolvimento local.

A Misericórdia da Vila de Óbidos, consciente que a formação profissional constitui uma importante ferramenta e desenvolve um papel essencial na renovação e valorização dos ofícios tradicionais, para a rentabilização das suas actividades e servir a causa social, a Santa Casa promoveu mais um curso Escolas-Oficinas da área de “Rendas e Bordados”, continuando a divulgar artesanato, a par da criação de mecanismos facilitadores da integração, no mercado de trabalho.

Ao mesmo tempo, a Mesa Administrativa está consciente que a formação profissional é cada vez mais necessária para se sair da situação frágil em que nos encontramos, face aos desejos da globalização, não se tratando de fazer concorrência com o mercado normal de emprego, mas de apostar no “fazer bem” e, contribuir assim, para a realização das medidas, das pessoas e da comunidade obidense, e a boa parceria entre a nossa Misericórdia e o Centro de Emprego de Caldas da Rainha, decidiu a Santa Casa candidatar-se a uma Empresa de Inserção, sem fins lucrativos, como medida de política activa de emprego, integrada no Mercado Social de Emprego e de forma a colocar no mercado algumas formandas, apostando na qualidade dos seus serviços, que se encontram com dificuldades de acesso a um direito fundamental: direito ao trabalho e, simultaneamente, continuar a desenvolver uma actividade de relevância social e testemunha da cultura e da tradição do concelho de Óbidos.

Só assim, a Santa Casa pensa complementar este projecto de formação, permitindo a continuidade dos objectivos iniciados com o programa “Escolas-Oficinas”, porque o sucesso deste programa de formação/emprego, não depende apenas dos bons resultados dos formandos e do trabalho de parceria existente, mas essencialmente e em primeiro lugar, do nível de integrações no mercado de emprego alcançado pelos formandos que concluam as acções, constituindo um recurso extremamente importante no cruzamento da economia, do emprego, da cultura e da defesa do artesanato, que é uma forma de afirmação dos povos. Numa óptica de desenvolvimento integrado, revalorizando o que é histórico, reencontrando ao mesmo tempo mais uma potencialidade, mais uma tentativa de encontrar a identidade da Vila de Óbidos, mais um esforço, embora com os seus cerca de quinhentos anos de existência, para se enraizar no território local a que se sente pertencer mais de perto, estando certa que se a empresa for correctamente organizada (em termos de gestão, ligação ao mercado, qualidade, qualificação dos recursos humanos, etc.), a Santa Casa promoverá a criação de emprego nesta zona a necessitar de ser revitalizada e recuperando mais uma forma cultural em vias de extinção, que se pretende futuramente uma actividade que adopte estratégias de inovação, integrando tradição e modernidade, através de combinações virtuosas e competitivas de elementos tradicionais com outros mais modernos “design”. É do casamento da tradição com a inovação que surge o verdadeiro artesanato.

Possui a Santa Casa uma empresa de inserção social, denominada “Misericórdia de Artes e Ofícios Tradicionais”, a funcionar desde o dia 1 de Janeiro de 2003, nas velhas instalações da Misericórdia, dentro da Vila, após trinta meses instalada no edifício da C P, um belo local de inspiração, onde esteve 30 meses, disponibilizado pela Câmara Municipal de Óbidos.

No atelier, trabalham ao vivo, diariamente, nove funcionárias, mostrando com mais facilidade, aos visitantes de Óbidos, um novo artesanato, que se pretende criar. A Empresa de Inserção, que teve início em 1 de Junho do ano 2000, vende os seus produtos numa loja na rua mais importante da Vila, a Rua Direita, tem ido a algumas feiras e realizado algumas exposições-venda e comercializa no próprio atelier.

Cientes no desafio a que nos propusemos, continuamos empenhados no processo de implementação local e regional da empresa de inserção - Misericórdia de Artes e Ofícios Tradicionais - embora preocupados em contribuir, de forma objectiva, e na medida do possível, para o reforço da auto-estima dos trabalhadores, responsabilizando-os, de modo a que se sintam mais valorizados e cresçam como pessoas.

É responsável directamente pelo desenvolvimento e funcionamento das actividades da empresa, e a gestão e direcção da mesma, criando laços, cada vez mais estáveis, para quem está numa situação instável, uma equipa de enquadramento, acrescida de um esforço e acompanhamento permanente, constituída essencialmente por alguns técnicos desta primeira instituição de caridade e benemerência do nosso concelho, e coordenada pela sua própria Mesa Administrativa.

No dia 5 de Dezembro de 2003, decorreu em Leiria a Cerimónia de Encerramento das Actividades do Distrito, no âmbito do Ano Europeu das Pessoas com Deficiência.

Durante este evento foram entregues medalhas aos empresários e Instituições do distrito de Leiria, entre as quais, a Santa Casa da Misericórdia da Vila de Óbidos, que no período de 1 de Julho de 2002 a 30 de Junho de 2003 criaram condições de Empregabilidade ou Formação Profissional a Pessoas com deficiência.